Boletim Técnico
Análise Sinótica: 23/02/2018-00Z
Nível 250 hPA
Na análise da carta sinótica de 250 hPa da 00 UTC do dia 23/02, persiste a circulação anticiclônica sobre o centro-norte do continente, associada a Alta da Bolívia (AB). A AB favorece a divergência de massa neste nível e por sua vez induz a convergência em baixos níveis e favorece a instabilidade observada. O cavado que atuou entre 20°S e 30°S, sobre o continente, deslocou-se para leste e enfraqueceu, situado no Atlântico nesta análise. Este cavado favoreceu a formação do sistema frontal em superfície sobre o Atlântico, que alinhou o canal de umidade em direção ao interior do continente. Ao sul de 38°S se observa o escoamento mais baroclínico, com a atuação das correntes de jato, que contornam os cavados e cristas.
Visualizar imagem de 250 hPA
Nível 500 hPA
Na análise da carta sinótica de 500 hPa da 00 UTC do dia 23/02 observa-se o reflexo do cavado observado em altitude, com a circulação ciclônica entre 20°S e 38°S principalmente, que favoreceu a formação do sistema frontal no oceano, que por sua vez alinhou a convergência de umidade em direção ao continente. O escoamento mais baroclínico atua ao sul de 40°S, associado a um forte gradiente de altura geopotencial acompanhando a atuação das correntes de jato em altitude.
Visualizar imagem de 500 hPA
Nível 850 hPA
Na análise da carta sinótica de 850 hPa da 00 UTC do dia 23/02, nota-se o reflexo do anticiclone subtropical do Atlântico, à leste de 40°W, porém com a circulação abrangente, que se acopla à circulação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), que por sua vez confluem em direção ao interior do continente, para a região de circulação ciclônica, à leste do sul do país. Parte deste escoamento também conflui em direção à parte do Nordeste e do TO, o que contribui para a formação das áreas de instabilidade, vistas nas imagens de satélite. A convergência de umidade também está associada ao escoamento divergente em altitude. A circulação ciclônica comentada encontra-se com núcleo no valor de 1320 mgp em torno de 35°S/32°W e está associada ao cavado descrito em altitude e nível médio. Este sistema estende um cavado em direção à Região Sudeste do Brasil, associado ao ramo frontal, que organizou o canal de umidade.
Visualizar imagem de 850 hPA
Superfície
Na análise da carta sinótica de superfície da 00Z do dia 23/02, observa-se um sistema frontal sobre o Atlântico com centro de baixa pressão associado de 992 hPa, localizado em aproximadamente 45°S/30°W. Associado com este sistema atua a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que pode ser observada desde o sudeste do AM ao RJ. Observam-se outros sistemas frontais nos oceanos Pacífico e Atlântico ao sul de 50°S. A Alta Subtropical do Pacífico Sul (ASPS) tem núcleo de 1020 hPa e encontra-se centrada em aproximadamente 35°S/90°W. A Alta Subtropical do Atlântico Sul encontra-se fora do domínio da imagem. A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) atua sobre o oceano Pacífico com banda dupla, uma em torno de 03°N/04°N e outra em torno de 02°S/03°S e em torno de 02°S/02°N no Oceano Atlântico.
Visualizar imagem de Superfície
Previsão
Nos próximos dias o destaque para o país será a atuação da ZCAS, pelo menos até a próxima terça-feira, que será conduzida de acordo com o deslocamento do sistema frontal no oceano, que terá deslocamento lento e gradativo para nordeste, que por sua vez será deslocada através do avanço do cavado nos níveis mais elevados. Nos dias subsequentes, o gradiente de pressão entre a baixa já formada, que irá se fortalecer e a alta em sua retaguarda, também já formada, com posicionamento mais ao sul e no oceano nesta análise, irá se intensificar e aumentar os ventos de leste em parte da faixa leste do centro-sul do Brasil. Este padrão se manterá pelos próximos dias, como uma situação característica de bloqueio, associada também à configuração de ZCAS. Este padrão de ventos de leste na costa leste de parte do centro-sul do Brasil deixará o tempo mais úmido, com nuvens e chuva fraca em alguns pontos. Com a atuação da ZCAS nestes dias, a instabilidade mais significativa deverá atuar entre as Regiões Sudeste, Centro-Oeste e Norte do Brasil, entre o MA e PI também e chegando ao sul e oeste da BA nos últimos dias de atuação da ZCAS. Atenção para áreas de MG, ES e GO, onde deverão se manter os volumes de chuva mais significativos pelas próximas 96 horas. Entre o sábado e o domingo um novo cavado se deslocará em direção ao RS, que junto ao escoamento de leste em baixos níveis, instabilizará parte do Sul do Brasil, principalmente no domingo. No dia seguinte, este cavado deslocará em direção ao Sudeste do Brasil, o que reforçará a instabilidade em áreas de SP e do RJ, também junto ao escoamento de leste em baixos níveis. Este cavado em altitude continuará seu deslocamento na direção nordeste e se acoplará à ZCAS, o que manterá este sistema até pelo menos a terça-feira.

24 horas

48 horas

72 horas

96 horas

120 horas